Famalicão com porta de entrada na Ilha do PríncipeAção Social Centro Social de Brufe comemora Semana T 2020 Queima do Galheiro de Fradelos é atração turística do Minho Famalicão quer reforçar adesão dos munícipes à fatura eletrónica Famalicão revela o talento do teatro amador Desfile infantil dá o pontapé de saída para a folia do Carnaval Dune Bleue lança meia a partir de plásticos recolhidos no mar Biblioteca Camilo Castelo Branco acolheu Concurso Nacional de Leitura Obras nas piscinas de Oliveira São Mateus melhoram eficiência energéticaAmbiente Adesão à Fatura Eletrónica Famalicão duplica pontos de carregamento de carros elétricos Cozido à Portuguesa abre o apetite para a noite de CarnavalCultura e Turismo Acesso Cultura lança debate sobre a municipalização da culturaCultura e Turismo Rui Zink apresenta último livro em Famalicão Transporte gratuito para a noite de Carnaval de FamalicãoCultura e Turismo O mês de fevereiro na Casa das Artes Município descentraliza serviços de fiscalizaçãoCultura e Turismo O mês de fevereiro no Parque da Devesa Devesa quer melhorar qualidade Carnaval que apaixona Fauna promove concursos ao programa de residências artísticas “Programar em Rede” com candidaturas abertas Museu Bernardino Machado lança novo ciclo de conferências Exposição “6 Mil - das origens a Famalicão” prolongada até 1 de março Prémio de História Alberto Sampaio com candidaturas abertas Rede de Museus de Famalicão define missão e abraça novos desafios Câmara vai monitorizar a qualidade do ar Serralves mostra Ângelo de Sousa a partir da Casa das Artes
O SEU LUGAR

Residentes / Cultura Rede dos Museus

Museu da Guerra Colonial

Centro Coordenador de Transportes,
Sala 1
Rua Henriques Nogueira
4760-038 V.N. Famalicão

Espaço Museológico
Parque Lago Discount
Lote 35A
Rua Senhor dos Perdões
4760-727 Ribeirão

T: 252 322 848 / 252 376 323
E: museuguerracolonial@adfa.org.pt


Horário:

Terças, quintas e sábados:
14h30 - 18h00

Primeiro domingo do mês:
14h30 às 18h00

Grupos e Escolas: com marcação prévia

Entrada Livre

A história do Museu da Guerra Colonial começou a desenhar-se durante o ano lectivo de 1989/90, quando trinta alunos oriundos de várias freguesias dos concelhos de Vila Nova de Famalicão, Barcelos e Braga participaram num projecto pedagógico-didático conjunto a que chamaram "Guerra Colonial, uma história por contar".

Através da metodologia da história contada oralmente, os alunos recolheram o espólio dos combatentes das suas áreas de residência. Surgiram então vários documentos como processos de morte e de ferido, correspondência, diários de companhia, diários pessoais, diários de acção social e psicológica, relatos e processos confidenciais, objectos de arte, fotografias, bibliografias, objectos religiosos, fardamento e armamento, enfim um manancial de fontes que permitiu, entre outras coisas, organizar uma exposição e nela reconstruir o "itinerário" do combatente português na guerra colonial.

Em 1992, iniciou-se um trabalho de colaboração com a Delegação da Associação dos Deficientes das Forças Armadas de Vila Nova de Famalicão, em que foram efectuados novos estudos regionais com base nos arquivos e membros desta instituição, bem como foi ampliada a exposição com a integração de novos estudos e materiais. Como resultado desta colaboração, a exposição percorreu vários eventos culturais e várias localidades.

Finalmente, em Maio de 1998, foi celebrado um protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Delegação da ADFA de Famalicão e Externato D. Henrique de Ruilhe de Braga, que serviu de acto solene e formal para a criação do Museu da Guerra Colonial.

O Museu rege-se pela recolha, preservação e divulgação de fontes e estudos, reformulação técnica da exposição permanente, constituição de um centro documental e o alargamento de novos estudos na região.
Saiba mais sobre o Museu da Guerra Colonial